Em coletiva, Lucho quebra silêncio e dá a sua opinião sobre a torcida alvinegra

Foto: Marcelo Vidal/Ceará SC

Em pouco menos de 20 minutos de entrevista coletiva, o técnico do Ceará, Lucho González, falou sobre os desafios para essa reta final de Campeonato Brasileiro. A equipe alvinegra vai enfrentar no próximo domingo (23), às 18h, o Atlético/GO, na Capital goiana.

LEIA MAIS:

Para ‘jogo do ano’, Atlético-GO faz superpromoção para lotar estádio em duelo direto com o Ceará

Copa do Brasil 2022: Jogador do Ceará termina como vice-artilheiro da competição

Antes de começar a entrevista, Lucho fez questão de pedir a palavra para pedir desculpas aos jornalistas presentes por não ter participado da coletiva após o empate por 1×1 contra o Cuiabá, no domingo passado, na Arena Castelão.

O treinador alvinegro foi questionado sobre a ausência da torcida nos próximos 2 jogos que restam como mandante e também fora de casa, devido à punição (provisória) imposta pelo STJD, mas ele fez questão de ressaltar que o Ceará só depende de si para escapar do rebaixamento.

“A nossa torcida é fundamental, independente do momento. Nossa torcida encheu o estádio no último jogo, apoiou como tinha que apoiar. Óbvio que sentiremos falta, não tenho nenhuma dúvida”, disse.

Vivendo uma temporada complicada por conta de eliminações e campanhas abaixo da média, com exceção da Sul-Americana, o Ceará vem decepcionando seu torcedor principalmente no returno da Série A. Em 13 jogos do segundo turno da competição, o Alvinegro venceu apenas um e somou 10 pontos de 39 disputados. Atualmente, o time tem a terceira pior campanha do returno, à frente apenas de Avaí e Juventude.

Para reverter a situação e permanecer na Série A do Campeonato Brasileiro no próximo ano, o time precisa de oito pontos nos últimos seis jogos que têm a disputar. Para ver a entrevista na íntegra veja o vídeo abaixo: